contador

rastreador

Follow by Email

Páginas

segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

Amor próprio

A maioria de nós que já passou dos 30 anos, já teve pelo menos uma vez na vida, o seu emocional sequestrado por alguém, alguém que certamente chegou numa versão repaginada de "amor eterno", alguém que foi ou é, ilusoriamente a solução de seus problemas afetivos. O tal "buraco emocional" é muito mais profundo do que muitas de nós é capaz de enxergar e, muitas vezes preenchemos esse buraco com qualquer "lixo", criando inconscientemente um abismo de ilusões, onde quase sempre nos afundamos.
Nossa razão sempre se transforma em minúsculos fragmentos racionais quando se depara com a nossa gigantesca empolgação sexual ou emocional, é como se a nossa inteligência de repente fosse asfixiada pelo medo de morrer sozinha, é como se a nossa percepção de valores à nosso favor, fosse estuprada pela necessidade de afeto e, é ai que se manifestam nossos erros emocionais gravíssimos, justamente quando não sabemos mais lidar com o nosso psicológico, entregando-o nas mãos daquele que é PHD em manipular sentimentos, o famoso caçador de mulheres carentes, o que adora vida fácil, comodidade afetiva, financeira e sexual, contudo e sensatamente concluindo, presumo que à cada ano que passa, essa ansiedade de querer sair da solidão está ganhando força, principalmente em meios virtuais, onde esse tipo de "sequestro emocional" tornou-se mais fácil e rápido, mas por outro lado que contrasta com o mesmo, também vejo mulheres independentes e bem resolvidas, mulheres maduras e seguras de sí, mais sintonizadas nelas mesmas, sem dependerem de alguém para serem realmente felizes. Nesse caso, devo dizer que, ainda bem que a tendência é melhorar e que o amor-próprio anda super alta, que pelo menos a grande maioria de nós já evoluiu e muito.

Nenhum comentário:

Postar um comentário